Que atire a primeira pedra quem é que nunca ficou com dúvidas na hora de pronunciar o nome de uma marca. Por mais estudioso de idiomas que você seja, sempre aparece uma dúvida quando se trata de uma marca nova ou daquela marca que nós já “abrasileiramos” e conhecemos desde a infância.

Aprenda a pronunciar corretamente

Aprenda a pronunciar corretamente

Pensando nisso, o youtuber Mr. Teacher Paulo gravou um vídeo muito divertido com um amigo norte-americano em que ele ensina a pronunciar corretamente algumas das marcas mais famosas e presentes em nosso dia a dia.

O canal do Mr. Teacher Paulo sempre traz dicas muito bacanas para quem está estudando inglês e este vídeo, além de útil, é muito engraçado.

Algumas das marcas escolhidas por eles são Levi’s, Nike, Colgate e a gente nem imaginava que falava “errado”! Veja no vídeo abaixo!

Mas antes mesmo do Mr. Teacher Paulo levantar esse tema, já circulava pela internet uma série de imagens comparando mostrando a maneira como ela deveria ser pronunciada. Veja a lista abaixo e aproveite para treinar a pronúncia correta.

Como você se saiu? Pode falar, a vida seria bem mais fácil se as marcas fossem escritas exatamente do jeito que devem ser pronunciadas, né não?

Que tal unir a aprendizagem do inglês ao conhecimento sobre feminismo? Está aqui uma grande oportunidade!

A eterna Hermione do filme Harry Potter

A eterna Hermione do filme Harry Potter

Para quem não sabe, a atriz Emma Watson, a eterna Hermione de Harry Potter, foi eleita Embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres em 2014. Como parte de sua atuação nessa posição, ela criou a campanha “HeForShe” com o objetivo de incluir homens na discussão sobre o feminismo e uni-los à luta pela igualdade de gêneros.

Emma inclui os homens na luta pela igualdade de gêneros

Emma inclui os homens na luta pela igualdade de gêneros

A novidade agora é um clube online de leitura proposto Emma, formada também em literatura, para discussão de livros sobre feminismo. Para criar esse grupo, a atriz perguntou aos seus seguidores nas redes sociais o que eles achavam da ideia e pediu sugestão de nomes.

Olá time! Quero começar um clube de leitura feminista mas até agora só consegui pensar em Clube de Leitura Feminista e Clube de Leitura Emma Watson. Tenho certeza que existe um nome mais inspirador por aí. Alguém tem ideias?”, escreveu a atriz. (fonte: Catraca Livre)

Após receber algumas sugestões, o nome escolhido foi “Our Shared Shelf” (“Nossa Estante Compartilhada”, em tradução livre). Depois disso, ela criou um grupo de discussões na rede social Goodreads, que tem a leitura e a discussão de livros como foco, para reunir as pessoas interessadas. A partir de agora, Emma vai escolher um livro por mês e no final de cada mês vai abrir um tópico para discussão. Há também outras discussões abertas, como o conceito de feminismo, por exemplo.

Vejam a Emma Watson como moderadora ali

Vejam a Emma Watson como moderadora ali

O primeiro livro escolhido por Emma Watson é “My Life on the Road” (“Minha Vida na Estrada”), da jornalista e ativista Gloria Steinem. Como o livro não é vendido no Brasil e não está disponível legalmente para download, nós indicamos uma resenha sobre o livro, publicada também em inglês, para vocês saberem do que se trata. Dessa forma, podem acompanhar um pouco a discussão do livro no clube de leitura da Hermione, ops, Emma Watson.

Primeiro livro escolhido para o clube de leitura feminista

Primeiro livro escolhido para o clube de leitura feminista

Por mais que vocês não entendam tudo que está escrito na resenha e nas discussões do fórum, aproveitem para acompanhar, se esforcem para entender o que puderem, treinem a leitura em inglês por ali. É uma oportunidade incrível de obter conhecimento sobre a luta pela igualdade de gêneros, exercitar o inglês e se aproximar de uma grande atriz como a Emma.

Para fazer parte do clube de leitura “Our Shared Shelf, clique aqui!

Para ler a resenha do livro “My Life on the Road”, clique aqui!

 

 

damon-jo-2

Fim de semana chegando e você só querendo relaxar, certo?

Pensando no seu desejo, a gente trouxe no post de hoje 3 canais do Youtube para você relaxar e exercitar seu inglês ao mesmo tempo. That sounds perfect, right?

Isso quer dizer que não são canais de curso de inglês, mas sim canais com conteúdos interessantes que te fazem querer falar inglês o mais rápido possível. E só a necessidade e o interesse são capazes de despertar na gente a vontade de aprender alguma coisa de verdade.

Bom, chega de papo de vamos ao que interessa: nosso TOP 3 de canais do Youtube.

Confira abaixo!

Damon and Jo

Ela é brasileira, mas mora nos EUA desde os 5 anos de idade. Ele é norte-americano e ama aprender idiomas. Os dois são amigos, apaixonados por viagem e criaram um canal no Youtube para compartilhar suas aventuras. É claro que todos os vídeos são muito legais, mas os melhores são aqueles em que a Jô tenta ensinar português para o Damon. E é incrível ver como ele melhora a cada dia. Vale a pena conferir esse canal!

 

The School of Life

Esse canal é demais! Criado pelo escritor Alain De Botton, a proposta do canal “A escola da vida” é compartilhar conteúdo sobre filosofia, comportamento, história e variados temas com uma linguagem simples e agradável. O canal é produzido por artistas, designers e educadores. O resultado disso são vídeos curtos, interessantes e lindos. Os vídeos são todos em inglês britânico, narrados pausadamente e com imagens ilustrativas. Por isso, além de treinar o inglês, você vai aprender sobre os mais variados temas.

 

SciShow

Este é um canal que fala sobre curiosidades, as mais variadas possíveis. “Por que nós nos espreguiçamos de manhã? ” “8 novas estranhas criaturas nas profundezas do oceano”. “Como esquecer coisas propositalmente”. Assim como o “The School of Life”, SciShow publica vídeos curtos com linguagem divertida e você ainda pode assistir com legendas!

 

Escolha seus temas preferidos e aproveite para assistir todos durante o weekend!

 

Duolingo

Se existe uma verdade quando o assunto é aprendizagem de idiomas essa verdade é que só estudar quando está no curso não adianta nada!

Fazer um curso de inglês é imprescindível para aprender o idioma. Mas se você sai da sala de aula e não pega mais nos livros, não escuta músicas e não conversa em inglês, dificilmente você conseguirá aproveitar o que viu com os professores.

Por outro lado, ninguém merece ficar com a cara nos livros o tempo todo, não é?

A boa notícia é que existe o Duolingo! Com ele, aprender um novo idioma ficou muito mais legal!

Se você ainda não conhece, não perca tempo! Baixe o aplicativo Duolingo em seu telefone ou tablet ou acesse https://pt.duolingo.com/ e faça seu cadastro.

Tanto o aplicativo quanto o site são gratuitos, fáceis de usar, divertidos, ajudam de verdade na aprendizagem de um novo idioma e conectam você com amigos que estão aprendendo o mesmo idioma. Não é legal? Você pode acompanhar o nível de aprendizagem de seus amigos e até competir por melhores colocações no ranking. Mas só se você quiser.

Com o Duolingo, você pode aprender mais de 20 idiomas, entre Inglês, Espanhol, Francês, Alemão, Italiano e muito mais! Veja como funciona clicando na imagem abaixo!

Como funciona o Duolingo

Como funciona o Duolingo

Tá esperando o que para começar a colocar em prática o que está aprendendo na Digital Max?

Depois conte aqui o que achou do Duolingo, tá?

Digital Max no Canadá

Eu sou Francine Tavares, trabalhei na Digital Max quando eu tinha 18 anos e hoje, quase 10 anos depois, estou de volta para movimentar os canais de comunicação da Digital Max, trazer novidades e conversar com vocês. E eu vou começar contando um pouco da experiência que tive no curso de inglês que fiz no Canadá em março e abril deste ano. Acabei de voltar de lá e as informações estão fresquinhas na minha cabeça!

 

Sou formada em Comunicação Social, Publicidade e Relações Públicas, estou terminando o mestrado em Comunicação também e confesso que nunca gostei de estudar inglês. Adoro estudar, mas inglês nunca foi meu forte. Mesmo assim, sempre procurei estudar a língua, faço cursos desde os 16 anos, indo e voltando de vários deles sem concluir nenhum. Mas, no ano passado, decidi que não deixaria 2016 acabar sem conseguir me comunicar em inglês. Não mesmo! Então me planejei para fazer um mês de curso de inglês no exterior. Para tornar realidade um dos meus grandes sonhos, tive que começar a pensar e planejá-lo com muita antecedência. Antes mesmo de decidir data e destino e até mesmo se eu teria condições de ir, comecei a minha pesquisa.

Este será o primeiro de muitos posts sobre o Canadá. Mês que vem vamos saber um pouco mais sobre os EUA.O objetivo é compartilhar experiências minhas e de outros integrantes da Digital Max e do Probem que possam interessar a alunos ou não.

Então vamos lá!

O primeiro passo nesse “projeto internacional” foi buscar orçamento com agências de intercâmbio como Egali, CI, EF etc. Comecei a fazer essa pesquisa ainda em 2014. Na época, minha intenção era ir para a Europa, Londres primeira opção ou Dublin como segunda opção. Entretanto, o aumento do euro e da libra esterlina, moeda da Inglaterra, me fizeram mudar os planos e colocar o Canadá como a única opção financeiramente viável. Até então não havia pensado no Canadá. Não tinha feito isso porque sempre tive maior vontade de conhecer a Europa do que a América do Norte e também porque, para EUA e Canadá, eu precisaria de visto. Essa questão do visto, aliás, é muito importante. Por isso, vou fazer um post falando sobre esses trâmites burocráticos mais à frente. Aguardem!

Bom, essa questão do visto realmente me assustava. E se o visto fosse negado? Era esse o meu maior medo, porque perderia tempo e dinheiro. Mas no fim das contas o visto foi aprovado e depois eu conto como foi esse processo.

 

Moeda

Definitivamente, a questão financeira foi determinante na minha escolha. Quando eu comecei a buscar orçamentos de intercâmbio, o Euro, que é a moeda da Irlanda e da maior parte dos países da Europa, estava R$3,10 e a Libra esterlina, moeda da Inglaterra, R$4,10 (mais ou menos, pois não lembro os preços exatos). Como eu demorei para decidir, não foi possível aproveitar esses preços e tudo subiu. Conclusão: o Dólar Canadense a R$2,80 foi a melhor opção.

Dólar canadense

Dólar canadense

Quando você compra um curso no exterior, você vai pagar o custo da moeda local, ainda que você pague para a agência em Real. É importante lembrar também que você precisará levar dinheiro para alimentação, transporte e lazer, por isso é importantíssimo acompanhar a taxa do câmbio diariamente para encontrar a melhor época para comprar dinheiro.

Um site que me ajudou muito nesse processo cansativo foi o Melhor Câmbio. Ele dá a melhor taxa de câmbio do dia/período e as casas de câmbio que oferecerem o melhor preço. Acesse aqui: melhorcambio.com.

 

Toronto, Montreal ou Vancouver

 Montreal, Toronto ou Vancouver: dúvida cruel!

Toronto, Montreal ou Vancouver: dúvida cruel!

Depois de decidir que eu iria para o Canadá, a outra decisão importante a ser tomada seria o destino. Os três destinos principais para estudo de línguas no Canadá são Toronto, Vancouver e Montreal. Os dois primeiros para quem quer aprender apenas inglês e Montreal para quem quer aprender inglês ou francês. Isso mesmo, Montreal, que é a maior cidade de Québec e a segunda mais populosa do Canadá, é majoritariamente francófona devido a colonização da França, mas quase toda a população fala francês e inglês, especialmente os mais jovens.

Esses três destinos são muito diferentes, por isso a escolha foi difícil. Vancouver, por exemplo, é uma cidade litorânea, na região norte, mais quente do que Toronto que, embora não seja a capital do país, é a maior cidade do Canadá.

Acredito que o destino mais procurado por quem quer estudar inglês no Canadá seja Toronto, mas eu escolhi Montreal por dois motivos: baixo custo de vida e possibilidade de estudar inglês e francês ao mesmo tempo. O segundo motivo acabou não vingando, porque, com a intensidade do curso de inglês, tentar aprender outra língua ao mesmo tempo seria impossível. Eu vou escrever com detalhes como foi a experiência de estudar inglês em Montreal ainda esta semana. Fiquem ligados!

 

Custo de Vida

Tem uma coisa que você precisa saber sobre custos no Canadá (e nos EUA também): o preço que está nas etiquetas não é, na realidade, o preço final. Isso mesmo, os impostos ou taxas, como eles chamam, são cobrados a parte. Então, quando você for comprar alguma coisa, preste atenção pois você vai pagar um valor a mais referente à taxa.

Embora as taxas em Québec sejam as mais altas de todo o Canadá, o custo de vida permanece sendo o menor. Para residentes é melhor ainda, pois a província oferece uma série de benefícios únicos para os moradores da região como saúde pública de qualidade, licença maternidade para mães e pais, entre outros.

Mercado também é barato por lá. Com $30,00 é possível fazer boas compras para durar uma semana e alimentar uma pessoa. Mas carne vermelha, principalmente, é bem caro.

O transporte também é outro ponto que pesa a favor de Montreal. Com $85,00 é possível usar metrô e ônibus o mês inteiro sem limite. E o melhor: o metrô é rápido e seguro, como todo o Canadá, e Montreal em especial.

 

Curso de Inglês

Escola ALI - Montreal

Escola ALI – Montreal

Talvez esse seja o ponto que mais interessa, afinal o objetivo foi viajar para melhorar o inglês de um jeito ou numa velocidade diferente do que eu teria no Brasil.

No fim das contas, escolhi a agência Egali para contratar o curso depois de verificar o preço diretamente com a escola. Como não havia diferença de custo do curso se eu comprasse direto com a escola ou com a agência, escolhi pagar pela agência porque eu poderia parcelar.

A Egali só me deu uma opção de escola, que foi a Académie Linguistique Internationale (ALI), uma escola de inglês e francês, então eu não tive como avaliar outras. Eu cheguei a buscar os preços de algumas outras, mas a ALI tinha o melhor custo-benefício.

Fechei um pacote com curso de 20 horas semanais (segunda à quinta, de 8:30 às 14:30), mais residência estudantil (um quarto numa casa perto de uma estação de metrô, com 10 minutos de distância da escola) e seguro saúde para o período que iria ficar lá.

Não vou falar os preços aqui porque eu fechei o contrato em uma data específica e os valores estão sempre mudando. Mas você consegue orçamento facilmente entrando em contato com as agências ou diretamente com as escolas.

Posso dizer que valeu muito a pena o curso no exterior! Embora tenha sido apenas um mês, esse mês valeu literalmente como um semestre, pois trabalhamos um livro inteiro em sala de aula.

Por hoje, vou ficar por aqui, mas no próximo post eu vou falar em detalhes como é o curso, como fui parar no nível que entrei lá, vou falar como eram as aulas, compartilhar algumas dicas que os professores deram e dar sugestões de como aproveitar melhor suas aulas de inglês, seja no Brasil ou no exterior.

Quarta-feira tem post novo aqui no blog!

See you soon, guys!