Aqui está a ferramenta que você precisava para, finalmente, aprender as linguagens de programação e de marcação necessárias para criar sites e plataformas digitais.

Não tem idade para aprender a programar

Não tem idade para aprender a programar

Codecademy é uma plataforma interativa que democratiza o conhecimento de programação e tem ajudado gente do mundo todo a aprender linguagens como PHP, Python, JavaScript e HTML gratuitamente. Isso mesmo que você leu, você não precisa pagar nada para aprender e/ou treinar esses conhecimentos.

O mais interessante dessa plataforma é que ela é muito didática. Dessa maneira, conteúdos que geralmente são difíceis de assimilar são apresentados de maneira simples e organizada, fazendo com que qualquer pessoa seja capaz de compreender.

A interface da CodeAcademy é muito simples

A interface da Codecademy é muito simples

Se você já fez ou faz curso de programação (isso vale para os alunos da Digital Max), aqui está uma grande oportunidade de atualizar e exercitar seus conhecimentos! Tenha em mente que o conhecimento é vivo e boa parte do que você precisa para se dar bem em seus projetos depende de exercício frequente. Não adianta aprender na sala de aula e nunca mais estudar, pois você não vai saber como colocar em prática quando realmente precisar.

E se você queria mais uma boa notícia, saiba que a plataforma já oferece boa parte do conteúdo em português, o que facilita e muito a compreensão das aulas. Mas, ainda assim, fazer os módulos em inglês não é um bicho de sete cabeças e você pode, ainda, exercitar o idioma.

Mas se ainda resta alguma dúvida sobre a importância de aprender a programar, fique sabendo que o Reino Unido já incluiu computação na grade escolar para que crianças aprendam programação nas primeiras séries. Se inglês é o idioma dos negócios, programação é a linguagem das oportunidades.

Bora aprender a programar?

code

Para ter acesso à  plataforma com conteúdo em português, clique aqui em Codecademy.

festival-rio

Todos os anos, a cidade maravilhosa é agraciada com a seleção de filmes do Festival do Rio. E neste não seria diferente. Com uma programação composta por 250 filmes, o festival reúne cineastas consagrados e iniciantes em um só evento. Em algumas das exibições é possível ainda participar de debates sobre o filme com os próprios produtores e diretores.

festival-do-rio-2016

Mas a melhor novidade até agora é que, neste ano, haverá uma programação gratuita pelo centro da cidade e a maravilhosa área do Boulevard Olímpico será aproveitada para exibições ao ar livre. Não é demais?

O Festival do Rio começa nesta quinta, dia 6/10, e vai até dia 16/10. O evento é um programa cultural para jovens e adultos de todo o estado do Rio. Vale a pena aproveitar cada oportunidade de apreciar a sétima arte.

 

Confira abaixo programação gratuita e no site do Festival do Rio a programação completa.

 

Boulevard Olímpico 
Praça Mauá

Sexta-feira, 7/10
18h Amazônia, de Thierry Ragobert
20h Apaixonados, de Paulo Fontenelle

Sábado, 8/10
18h A Fuga das Galinhas, de Peter Lord e Nick Park
20h Bem Casados, de Aluízio Abranches

Domingo, 9/10
18h Marias, de Joana Mariani
20h Havana Moon: The Rolling Stones Live in Cuba, de Paul Dugdale

 

Cine Maison 
Av. Pres. Antônio Carlos, 58 – Centro

Segunda-feira, 10/10
13h The Wakhan Front, de Clément Cogitore
15h São Bernardo, de Leon Hirszman
18h Belle Épine, de Rebecca Zlotowski
20h Grand Central, de Rebecca Zlotowski

Terça-feira, 11/10
13h Suzanne, de Katell Quillévéré
15h O Desafio, de Paulo César Saraceni
18h Bernadette Lafont – E Deus Criou a Mulher Livre, de Esther Hoffenberg
20h Damoclès, de Manuel Schapira

 

Espaço BNDES
Av. República do Chile, 100 – Subsolo – Centro

Segunda-feira, 10/10
12h30 São Sebastião do Rio de Janeiro – A Formação de uma Cidade, de Juliana de Carvalho
18h30 Califórnia, de Marina Person

Terça-feira, 11/10
12h30 Serra Pelada, A Lenda da Montanha Dourada, de Victor Lopes
18h30 Truman, de Cesc Gay

Quinta-feira, 13/10
12h30 Crônica da Demolição, de Eduardo Ades
18h30 Las Acacias, de Pablo Giorgelli

Sexta-feira, 14/10
12h30 Chico – Artista Brasileiro, de Miguel Faria Jr.
18h30 Roteiro de Casamento, de Juan Taratuto

 

Escola de Cinema Darcy Ribeiro
Rua da Alfândega, 5 – Centro

Mostra de Cinema Eslovaco

Sexta-feira, 7/10
17h 25Km2 (13 min) + 66 Seasons
Exibição seguida de debate com o diretor Peter Kerekes e a produtora Eva Krizkova

Sábado, 8/10
17h Arsy Versy (23 min) + Pictures of the Old World

Segunda-feira, 10/10
17h Pandas (12 min) + Made in Ash

Terça-feira, 11/10
17h Cock-a-doodle-do (8 min) + The Cleaner

Quinta-feira, 13/10
17h Twins (6 min) + In Line (4 min) + Celebration in the Botanical Garden

 

Cinemateca do MAM
Av. Infante Dom Henrique, 85 – Flamengo

Quarta-feira, 12/10
19h A Grande Cidade, após a entrega do prêmio FIPRESCI ao diretor Carlos Diegues
Mama Shelter
Rua Paschoal Carlos Magno, 5 – Santa Teresa

Terça-feira, 11/10
20h Xapiri, de Gisela Motta e Leandro Lima, e Interfaces II – As Viagens da Alma, de Oskar Metsavaht, com a presença dos diretores e do curador Marc Pottie

 

Fonte: Adoro Cinema.

 

 

Sabia que o que você aprende no seu curso de programação serve não só para desenvolver sistemas, mas também para encontrar falhas?

caçando bugs

caçando bugs

Isso mesmo! Você pode usar seus conhecimentos para buscar bugs em sistemas de empresas famosas como Google e Facebook, que pagam recompensas altíssimas dependendo do grau do risco que a falha envolve.

Em 2014, o Facebook pagou R$80 mil a um brasileiro que descobriu um erro gravíssimo e recebeu o maior montante pago a um “caçador de bugs” até então.

Veja a matéria aqui: Facebook dá R$ 80 mil a brasileiro por achar falha.

No mês de maio deste ano, foi a vez do Instagram pagar U$10 mil a um menino de 10 anos da Finlândia. Ele descobriu ser possível apagar comentários de outras pessoas na rede social de fotos.

Veja aqui: Menino de 10 anos ganha US$ 10 mil após identificar falha de segurança no Instagram.

Na semana passado, o Google anunciou que a recompensa para quem achar falhas no Android pode chegar até R$200 mil!

Imagina receber esse dinheiro todo só por encontrar um erro de sistema?

Como reportar um erro

Geralmente, os “calçadores de bugs” encontram os erros e reportam à empresa. Foi assim com o brasileiro e com o menino finlandês. Eles viram que havia uma falha e enviaram e-mails para o Facebook e para o Instagram. Depois de confirmado o problema, as empresas entraram em contato e agendaram o pagamento.

Entretanto, no caso das falhas do Android recompensadas pelo Google, o processo será um pouco diferente. Além de reportar o erro, o “caçador de bugs” vai precisar enviar um relatório detalhando o problema e apontando possíveis soluções.

Se você já está pensando em se tornar um “caçador de bug” do Google, comece acessando as regras e a tabela de remuneração aqui.

Profissão: caçador de bugs

Ganhar uma bolada de uma vez só por achar uma falha em um sistema de uma grande empresa é o sonho de qualquer apaixonado por tecnologia e programação, não é? Mas não dá para viver esperando que essa caça ao tesouro dê certo. Vai que você não encontre o erro ou alguém encontre antes de você?

profissão: caçador de falhas

profissão: caçador de falhas

A boa notícia é que, além de poder ganhar dinheiro com empresas grandes como Google e Facebook, você pode se especializar nessa área e trabalhar em empresas de desenvolvimento de sistemas aí na sua cidade. Isso mesmo! Você pode virar um “caçador de bugs” profissional, com carteira assinada e tudo!

Uma pesquisa realizada em 2013 no Brasil, mostrou como a função de “caçador de falhas” era uma das mais promissoras no setor de Tecnologia da Informação. Veja aqui: Apesar da grande oferta, boa parte das vagas não são preenchidas. Caçador de falhas é uma das novas funções que surgem no mercado.

A preocupação com segurança da informação somada à vulnerabilidade de sistemas são fatores que favorecem o mercado de trabalho para “caçadores de falhas”. Ter no currículo cursos voltados para informática, programação e alguma experiência de buscas bem-sucedidas é mais importante do que uma graduação, por exemplo. Isso por que, para trabalhar como “caçador de bugs” você não precisa necessariamente ter feito uma faculdade. Ou seja, é uma excelente maneira de começar sua vida profissional.

Características pessoais como discrição, perfeccionismo e perseverança também são imprescindíveis para o sucesso profissional.

 

E aí, acha que pode fazer esse trabalho?

Que tal começar fuçando o Android?

Se precisar de qualificação profissional, conte com a Digital Max!